Teologia

Hermenêutica e Exegêse

Hermenêutica e Exegêse
Hermenêutica é a ciência da interpretação de textos. Seu estudo é muito útil pois evita interpretações particulares e desmascara muitas heresias.

Vamos acompanhar esta etapa com estudo da exegêse bíblica.

Exegêse é a prática da interpretação de textos segundo as regras da hermenêutica. Se diz fazer a exegêse de um texto bíblico quando se busca o verdadeiro sentido pretendido pelo autor, o Espírito Santo. Exegêse não é uma busca por sentidos extravagantes e forçados. Pelo contrário, é procurar a mensagem simples do texto. É matéria obrigatória nos bons seminários de teologia.

Os princípios básicos mais importantes da hermenêutica são:Bíblia Interpreta Bíblia e a Regra do Contexto.

01. Bíblia Interpreta Bíblia
Toda a interpretação tem que estar de acordo com a Verdade que é a Palavra de Deus. Não pode haver particular interpretação. Exemplo: Se você ler sobre uma personagem do Velho Testamento (Antigo Testamento), antes de afirmar algo sobre a leitura, leia, com cuidado, tudo sobre o mesmo em outros livros do VT e no Novo Testamento. A bíblia não se contradiz, mas o leitor pode criar contradições se não fizer uma boa pesquisa. Muitas vezes, por não entender o verdadeiro sentido em que uma palavra foi empregada em um texto. A frase indica o sentido pretendido pelo escritor do livro.

Em outras ocasiões, o leitor faz suposições erradas quando o texto lido omite certas informações. Que muitas vezes estão em outro texto e até em outro livro da bíblia.

Veja este texto

1Re 17:1 – Então Elias, o tisbita, dos moradores de Gileade, disse a Acabe: Vive o Senhor Deus de Israel, perante cuja face estou, que nestes anos nem orvalho nem chuva haverá, senão segundo a minha palavra.

Alguns se apressam e declaram com base neste versículo e nos demais do contexto que a palavra do homem também tem poder. Mas esqueceram de ler o texto a seguir:

Tiago 5:17,18 – Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós e, orando, pediu que não chovesse e, por três anos e seis meses, não choveu sobre a terra.

Elias não proclamou algo ao seu bel prazer mas o que Deus lhe concedeu após pedir em oração.

Outro ponto é que a intenção de Elias era não pessoal. Elias havia sido designado por Deus em prol dos interêsses de Deus. Não é qualquer um sair por aí, profetizando o que bem entende, no desejo de alcançar realizações pessoais, fama ou dinheiro e alimentando o ego dos ouvintes. A palavra do homem só tem poder psicológico e quando há quem lhe dê atenção. Pode até gerar benefícios ou malefícios quando atinge a mente de alguma pessoa que aceite tal palavra. O inimigo pode até mesmo influenciar pela sugestão valendo-se de alguma palavra que tenha impressionado a alguém, pois alguns ouvem tais palavras e se deixam induzir por elas.

Poder espiritual e com milagre verdadeiro só a Palavra do Deus Vivo. Mesmo que em alguns casos na bíblia não se veja uma ordem dada por Deus para determinado profeta ou apóstolo pronunciar alguma palavra de benção ou maldição é preciso entender que foi o Senhor quem determinou assim e que os profetas e apóstolos estão sob a autoridade do Espírito Santo naquele momento e por seus lábios estará sendo expressa justamente a Palavra de Deus. Mas isto não é, para que qualquer que deseje se promover saia por aí dizendo que está sob a unção e o que sair dos seus lábios Deus irá cumprir.

E deixaram de considerar, também, que Elias havia recebido uma comissão especial para isto. Lógico que Deus muitas vezes nos comissiona para profetizar, mas é a Palavra de Deus que deve fluir em nossos lábios e no limite para o que formos comissionados. O alvo é o Reino de Deus nos corações dos homens e não reinos de homens.

A palavra do homem só tem poder psicológico sobre as mentes, e se quem a ouvir o permitir.

O próprio Senhor Jesus, na condição humana, não falava por si mesmo, leia: As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras. João 14:10

02. Regra do Contexto
Verificar nos textos próximos, no parágrafo e capítulo sobre que assunto o escritor está falando.

Há alguns princípios inseridos por explicação que podem ter valor mais genérico, mas cuidado. O dever do estudante sério é buscar a mensagem de Deus clara, simples e objetiva, sem invenções extravagantes. Há passagens com sentido figurado, mas isto não justifica sair criando interpretações exóticas.

Muito cuidado com passagens que usam expressões do tipo: todos, em tudo, etc. Porquê?

a) Todos os demais textos bíblicos continuam valendo, e o alcance, abrangência ou limite da afirmação, ordem etc estará sujeito à condições e prioridades. Colossenses 3:22 Vós, servos, obedecei em tudo a vosso senhor segundo a carne, não servindo só na aparência, como para agradar aos homens, mas em simplicidade de coração, temendo a Deus.

Atos dos Apóstolos 5:29 Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens.

Compare os dois textos e veja a necessidade de equlíbrio para cumprir as duas ordens de obediência. E temos que cumprir ambas. Mas poderá chegar a situações em que não nos restando outra alternativa teremos que escolher a prioridade que é obedecer a Deus. A expressão “em tudo” no primeiro texto está implicitamente limitada e vale até onde não haja pecado contra Deus.

O segundo contexto pode servir, por princípio, para exemplificar isto mas vou citar outro exemplo marcante.

Daniel 3 16 Responderam Sadraque, Mesaque e Abede-Nego e disseram ao rei Nabucodonosor: Não necessitamos de te responder sobre este negócio. 17 Eis que o nosso Deus, a quem nós servimos, é que nos pode livrar; ele {nos} livrará do forno de fogo ardente {e} da tua mão, ó rei. 18 E, se não, fica sabendo, ó rei, que não serviremos a teus deuses nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste.

Mesaque, Sadraque e Abede-Nego eram servos obedientes ao rei seu senhor, como todos nós crentes o devemos ser para com as autoridades e chefes, mas quando a ordem era pecar contra Deus, idolatrando, não obedeceram.

Leia bem o seguinte versículo e entenda o cuidado com interpretação exemplificado na aplicação da palavra todas.

Ato 4:32 – E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns.

Se porventura alguém fizer uma leitura descuidada e não atentar para o contexto bíblico isto pode levar a graves heresias e bobagens sem fim. Jamais se poderia aplicar este verso a muitas coisas que são pessoais (pense um pouco sobre isto): A espôsa de cada um, a escova de dente, e etc. O contexto próximo pretende tratar de posses, alimentos e recursos financeiros que eram repartidos por todos para que ninguém tivesse necessidade e basta ler com cuidado.

Jamais se poderia aplicar a ter em comum aquilo que a bíblia em outras passagens ordena pertencer a uma só pessoa, ou que ferisse questões de higiene por exemplo. Infelizmente já vi líderes errando nestas coisas e interpretações totalmente anti bíblicas sendo usadas para justificar o pecado. A mídia divulgou recentemente um caso.

Outro exemplo

Jó 13:4 “Vós, porém, sois inventores de mentiras, e vós todos médicos que não valem nada.”

Ouvi diversas vezes irmãos dizendo que esta passagem se referia aos médicos. Na verdade a palavra médicos aqui está sendo aplicada figurativamente aos três amigos de Jó, que inventavam doutrinas humanas na tentativa de explicar o sofrimento de Jó e acabavam por causar maiores males a alma dele ao invés de aliviá-lo e ainda pecavam contra Deus. O tratamento (falando em sentido figurado) que ministravam era em palavras mentirosas (da mente humana), por isto foram chamados de “inventores de mentira” e só agravavam a situação. Jó pediu que eles parassem com o tal “tratamento” sugerindo que se calassem (13.5). Os amigos dele foram repreendidos por Deus e Jó intercedeu por eles para que não fossem castigados (Jó 42.7,8,9).

Veja mais estes exemplos:

Sobre a Doutrina da Pré Existência do Espírito Humano

Sobre a Sabedoria na Eternidade
Outro ponto importante a entender é que todas as passagens das escrituras trazem mensagens para todos os servos de Deus em todos os tempos. 2 Timóteo 3:16 Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça, .

Sendo para os judeus, para igrejas locais específicas ou para outros povos são para nosso ensino Romanos 15:4 Porque tudo que dantes foi escrito para nosso ensino foi escrito, para que, pela paciência e consolação das Escrituras, tenhamos esperança

Agora, aqui, precisamos de todo o cuidado por causa do costume humano de tender para os extremos. Precisamos analisar cada caso à luz da Nova Aliança e da vontade específica de Deus para cada um de nós, usando de sabedoria e propriedade e aplicar os princípios e não detalhes que não nos dizem respeito.

Exemplo: tem irmãos que condenam o uso de barba com base no texto em que José fez a barba para ir a presença de Faraó. Nem precisaríamos justificar que uso de barba não é pecado, mas por causa do que temos ouvido, leia.

Levítico 19:27 Não cortareis o cabelo, arredondando os cantos da vossa cabeça, nem danificarás a ponta da tua barba.

Só para não danificar pois tinham barba e era lei geral para todo o povo o não danificar a ponta da barba.

2 Samuel 10:5 O que fazendo saber a Davi, este enviou a encontrá-los, porque estavam estes homens sobremaneira envergonhados; e disse o rei: Deixai-vos estar em Jericó, até que vos torne a crescer a barba; e {então} vinde.

Até que torne a crescer a barba. Se fosse pecado não iria dizer para deixar crescer.

Esdras 9:3 E, ouvindo eu tal coisa, rasguei a minha veste e o meu manto, e arranquei os cabelos da minha cabeça e da minha barba, e me assentei atônito.

Salmos 133:2 {É} como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Arão, e que desce à orla das suas vestes.

Ezequiel 5:1 E tu, ó filho do homem, toma uma faca afiada; como navalha de barbeiro a tomarás e a farás passar por cima da tua cabeça e da tua barba; então, tomarás uma balança e repartirás o cabelo.

Mas quando querem inventar doutrinas de homens, que nada tem com princípios divinos, princípios morais ou de amor, vão arrumar uma explicação para cada texto.

Entenda bem irmão jamais podemos alterar ordens divinas com base em contextualizações históricas ou sociais, nem podemos desprezar ordens emanadas do Espírito Santo, pelos apóstolos, alegando que é para esta ou aquela igreja. Mas sobre barba a bíblia não tem nada que proiba ou ordene o uso, nem sequer uma menção.

Agora, aqui para nós, se você pertence a uma igreja que ensine que uso de barba é pecado, obedeça ao seu pastor e não seja um rebelde. Caso contrário estará pecando. Estando você em posição de votar em concílios e assembléias e apresentar o assunto para discussão faça-o com moderação e respeito.

Muito cuidado com este negócio de ser esclarecido ou ser crítico. A única coisa que o servo de Jesus Cristo precisa é ser humilde e obediente. Alguns lendo a bíblia encontram Paulo e outros santos de Deus tomando certas atitudes e pensam poder imitá-los. Engraçado é que nunca o imitam na oração, nos jejuns, na pureza, nas vigílias, nos açoites, no aceitar todo o sofrimento por amor do evangelho. E ainda se esquecem que Paulo era apóstolo (Pastor Missionário Presidente), tinha uma chamada toda especial, inspiração e revelação detalhada do Espírito Santo de Deus e do mais alto nível. Você que lê a bíblia sabe muito bem as consequências sobre os críticos questionadores, pensadores independentes insubmissos: Mirian, Corá, Saul etc

Atenção nas figuras de linguagem.

Faça uso de um bom dicionário bíblico e um dicionário da lingua portuguesa. Cuidado com o significado das palavras que encontrar, e analise-as pelo assunto do contexto. Procure conhecer um pouco do contexto histórico e social da época em que foi escrito o texto, mas não distorça a Palavra de Deus com base em conhecimentos extra bíblicos. Afinal você quer edificar sobre a rocha e não sobre areia movediça.

Priorize pregações cristocêntricas e totalmente embasadas na mensagem simples e direta do texto bíblico, isto é, mensagens com referências reais e não mensagens com referências verbais.

Pr Acir Reis