Teses Teológicas

Divórcio não! Salve seu casamento!

Divórcio ou Reconciliação?
Divórcio não! Salve seu casamento!

Deus disse que abomina o divórcio e Jesus ensinou que só em caso de porneia (adultério e outros casos graves de imoralidade) não haveria pecado na separação. Mateus 19.9. Ouvi um comentarista aplicando a passagem bíblica onde Deus faz a indagação “Andarão dois juntos se não estiverem de acordo?” Amós 3.3 ao caso de casais que vivem com problemas de relacionamento etc. Entretanto tal passagem só prevê contexto para a situação em que uma das partes ímpia, o povo de Israel, vivia em apostasia que é um adultério espiritual e ainda assim a iniciativa é da parte de Deus que não abandonou este povo adúltero mas ofereceu perdão e restauração.

Para o caso dos casais que não vivem em acordo o dever de cada cônjuge é observar a Palavra de Deus e então haverá sempre acordo no que for essencial, pelo menos. Nós somos servos desse Deus justo e misericordioso e devemos obediência a Deus antes que às leis dos homens. Embora devamos obedecer às autoridades sempre que não seja contrário ao Senhor. Portanto devemos buscar com toda a justiça do novo Reino em que fomos inseridos pela fé em Jesus Cristo onde justiça, paz, e alegria no Espírito Santo (Veja bem que não é qualquer justiça, qualquer paz ou qualquer alegria)

Jesus ordena que o que Deus ajuntou não separe o homem. Muitos argumentam – e se não foi Deus quem ajuntou. Irmãos estamos tratando de casais crentes, onde sempre foi Deus quem ajuntou, quer pelo casamento em Cristo quer por virem casados submeter-se à Cristo. Quem deseja separar é o diabo e, exceto, pelos pecados antes mencionados o que ambos precisam fazer é vencer ao maligno. Por outro lado não teríamos como saber se não foi Deus quem ajuntou, como saber? Pelos problemas de convivência? Ora temos problemas entre pais e filhos; irmãos na família; irmãos nas igrejas; pastores e ovelhas. Já pensou se agíssemos da mesma maneira nestes casos.

Pastores iriam abandonar seus rebanhos com uma freqüência nunca vista, irmãos iriam morar em casas diferentes e viver como nômades etc. Mas o inimigo destruidor da família faz com que a falta de amor, humildade, paciência e perseverança cause tudo o que temos visto na sociedade onde a grande parte dos escândalos que vemos resultam de lares divididos pelo divórcio que alguém disse não haver destruído a família. Destruiu e muito, o resultado é a sociedade perversa que temos hoje e crianças sofrendo a dor da separação como temos visto pessoalmente.

Conheço um caso recente de uma menininha que chora muito com saudades do papai, que vai vê-la todos os dias, mas isto não basta. Apesar que o divórcio não é o único culpado disto mas todas estas transformações sociais anti cristãs que ocorreram a partir do século XX tais como: Feminismo, mães trabalhando em tempo integral, televisão pervertida, moda imoral e etc.

Agora o que muito me espanta é que dois crentes que: Se o mar não se abrir vão passar por sobre as águas; vão fazer o gigante cair ao chão; vão pisar nisto ou naquilo; vão determinar; vão profetizar sobre os demais; vão abalar; vão fazer e acontecer e cantam e declaram com mãos levantadas e demonstrando grande alegria não usem a mesma fé para derrotar este espírito maligno causador do divórcio e vençam em oração e jejum declarando e determinado. Onde estão os abençoados que tanto falam sobre vitórias. Onde estão os abençoados que derrotam o inimigo com fé e paciência quando: os seus negócios estão em risco de falência; sua saúde está precária; sua igreja está cheia de problemas etc etc. Onde estão os que denunciam os matadores da unção e não denunciam os matadores da família.

Porque não usam a mesma fé e paciência em prol da restauração do amor. Eles crêem em milagres podem crer no milagre do amor restaurado; no milagre do perdão; no milagre da convivência pacífica; etc. Onde estão os guerreiros e guerreiras de Deus que não aceitam que o inimigo: mate os seus sonhos; destrua seus ideais. Porque não faz cada um a sua parte no casamento e com a mesma paciência e perseverança conversa num diálogo franco aberto e amoroso. Porque não ama um ao outro, sem confundir o amor com paixões malignas que só causam derrota, com amor de Deus que se enche de misericórdia e enxerga no outro um ser que tanto já sofreu e que precisa do seu carinho e cuidado e como cristão que se diz batalha pela união. Há muitas exigências tolas de ambas as partes e há muita desobediência a Palavra de Deus. Parem com isto, leiam a bíblia juntos em textos sobre marido e mulher e peçam a Deus força para obedecer, orem de mãos dadas, usem a fé de que tanto falam para perdoar e abençoar um ao outro.

Alguns alegam que muitos estão felizes no segundo casamento. O que se esquecem é que tiveram que aprender a suportar e aprenderam a ser mais humildes e pacientes. O que deveriam ter feito no primeiro casamento “liberando a fé” e “liberando a palavra” como o fazem em outros problemas que enfrentam. Se o seu cônjuge é cheio de defeitos saiba com toda a certeza que você também é, apesar de não se enxergar perfeitamente. Comecem a exercitar pedir perdão quando ferirem ao outro com palavras e orem juntos de mãos dadas confiando em Deus e haverá transformação e restauração. Não sigam o caminho fácil e largo e as soluções pós modernas que estão levando à perdição eterna. Sigam os passos de Jesus e Deus com toda certeza os abençoará.

A solução do divórcio e de refazer a sua vida todo mundo sabe, mas a solução do perdão e da fé no milagre da restauração só os que tem Jesus Cristo como Senhor.