Teses Teológicas

O Enfermo no Tanque de Betesda

O Enfermo no Tanque de Betesda

Atentando para o relato do enfermo, podemos observar que a cura pretendida, beneficiaria sempre aqueles que, apesar de também enfermos, tinham alguma capacidade, podiam fazer alguma coisa por si mesmos ou tinham outras pessoas que o fariam. Beneficiados seriam os que conseguissem, de cada vez, serem os primeiros. Tais pessoas conseguiam enxergar em si mesmos e nos homens uma chance.

Mas a graça, representada aqui pela favor proposto por Jesus ao enfermo, é diferente. Ela só pode atingir ao homem que reconhece haverem se esgotado todas as possibilidades humanas e que só está ali por não conhecer outra opção. A graça olha não para o primeiro mas para o último, não para o capaz mas para o incapaz. Todos eram enfermos assim como todos somos pecadores. Mas a graça de Deus acha o pecador pobre e abatido de espírito, assim como Jesus encontrou aquele enfermo sem nenhuma auto-suficiência.

Quer alcançar graça perene, faça como este enfermo e admita que você nada pode sem a graça divina. E, ao receber a graça levante-se tome o teu leito e ande. Faça a sua parte mas a partir da graça de Jesus Cristo.

Acir Reis