Teses Teológicas

Que avivamento é este?

Sobre Avivamentos
Que avivamento é este?

Estou tentando usar linguagem sã e irrepreensível. Sem julgar ou ferir aos irmãos que pensam diferente. Penso que a maioria é crente sincero.

A fim de deixar bem claro esclareço logo que sou pentecostal, falo em línguas, e que quando utilizamos a expressão “linguas estranhas” referimo-nos tão somente ao fato de ser estranha (desconhecida, outra, diferente da sua) para aquele que está falando e nada tem isto de “estranho”. É só ler, com cuidado e sinceridade, I Coríntios capítulos 12, 13, 14 e verificar que é um dos dons dados à igreja do Senhor.

O leitor sincero: 1. Fará a exegêse para o texto citado e similares igual faz para qualquer texto. Há pessoas que, infelizmente, fazem interpretações, convenientes ao seu modo de pensar, que não resistem à sua própria hermenêutica. 2. Constatará que os dons jamais cessaram. Exceto os que optarem pela interpretação de que “o que é perfeito” é o Cânon, que não resiste aos versículos I Coríntios 13. 11, 12 pois não se alcançou a perfeição pretendida na passagem, ainda conhecemos em parte pois o que é em parte não foi aniquilado até então, mas estamos todos sendo aperfeiçoados, os que cremos. A nossa perfeição é relativa, embora a Escritura seja absolutamente perfeita. Nós só conheceremos deste modo, perfeito, nos céus (leia). É fácil verificar ainda que os discordantes estão firmados em base as quais tanto criticam. Eles estão firmados na experiência. Só que em experiências negativas. Tanto nas suas próprias quanto nas de suas fontes históricas. E alguns nem sabem.

Vejamos outros pontos essenciais: 3. O trecho bíblico citado trata da ministração à igreja e quando refere-se ao exercício dos dons e em especial ao dom de línguas no sentido de falarem poucas pessoas e com intérpretes, está implícito o sentido do aproveitamento por parte da igreja. Nada contrariando o exercício individual, mesmo no templo. O que o apóstolo pretende é o bom proveito do tempo. É lógico que, se um pregador ou quem faça uso da palavra, dirigindo-se ao público, falar em línguas por muitos minutos, sem interpretação, estará errando. É sobre isto que o apóstolo está ensinando. O uso proveitoso do tempo na ministração. O texto trata de ministração à uma igreja.

Tanto é assim que o apóstolo diz claramente “E eu quero que todos vós faleis em línguas” ele não diz- E eu quero que todos vós penseis em línguas, mas que faleis em linguas, concordando com a palavra de Jesus em Marcos 16.17 “Falarão novas linguas” e com todas as passagens em que os crentes foram batizados com o Espírito Santo e outros ouviam, a ponto de no dia de pentecostes acharem que estavam cheios de mosto.

Por outro lado Paulo justifica seu ensinamento dizendo “Todavia eu antes quero falar na igreja cinco palavras na minha própria inteligência, para que possa também instruir os outros, do que dez mil palavras em língua desconhecida.” isto deixa bem claro que se trata de ministrar à igreja, pois não sendo caso de ministração, então se poderia ficar falando a vontade na lingua conhecida por todos. Mas sabemos que só o ministrante poderia fazer isto. Isto é, nenhum dos crentes presentes ao culto poderia falar ao seu bel prazer, mesmo na lingua conhecida por todos. Isto é restrito aos ministros. Observe que Paulo ordena “Fale consigo mesmo e com Deus”.

Paulo não está tratando do gosto pessoal de muitos para quem, por motivos de preferências culturais e éticas próprias, um pouco de barulho é considerado excesso. O mesmo ocorre quando louvamos ao Senhor com glórias e aleluias em alta voz. Paulo trata de ordem e decência por motivos práticos e quando ordena ” Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja, e fale consigo mesmo, e com Deus.” é com fins de ninguém se dirigir à igreja se não houver intérprete. Se houver interprete o crente poderá falar (para a igreja) e isto é ministração e prova que o assunto é ministração. Leia com cuidado o versículo e veja que ninguém poderá ficar calado e falar ao mesmo tempo ou então não seria falar em linguas mas pensar em linguas. Calado na igreja significa calado como ministrante e falar consigo mesmo não é pensar mas falar, e isto Paulo diz que quer e ordena não proibir. Alguém só poderia proibir se ouvisse, pois é uma fala, e Paulo diz que não é para proibir. Se fosse para falar no pensamento como poderiam proibir?

Alguém poderia alegar que há excessos e há mesmo, mas isto não permite a ninguém impedir os crentes de falarem em linguas.

4. Sob a alegação de barulho ensurdecedor nos cultos pentecostais leia o artigo próprio neste site. 5. Criticam tanto a igreja de coríntio a fim de balisarem suas idéias.

Leia 1 Coríntios 1: 2 à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso: 4 Sempre dou graças ao meu Deus por vós pela graça de Deus que vos foi dada em Jesus Cristo. 5 Porque em tudo fostes enriquecidos nele, em toda a palavra e em todo o conhecimento 6 (como foi mesmo o testemunho de Cristo confirmado entre vós). 7 De maneira que nenhum dom vos falta, esperando a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo, Eu teria temor de falar o que alguns falam sobre esta igreja. Romanos 14:4 Quem és tu que julgas o servo alheio? Para seu próprio senhor ele está em pé ou cai; mas estará firme, porque poderoso é Deus para o firmar. Havia o que corrigir, mas ninguém se esqueça que eram servos fiéis ao Senhor. E não se esqueçam disto, também, quando tratarem com os crentes de nosso tempo e dos tempos passados.

Peço que leiam o artigo sobre o barulho pentecostal para que fique claro o meu pensamento sobre a emoção. Não sou contra a emoção, nem o poderia ser, Jesus se emocionou diversas vezes. O que não podemos concordar é com o que se chama em figura “colocar o carro na frente dos bois” tentando, com puro emocionalismo, técnicas diversas e métodos psicológicos buscar a presença de Deus ou o seu favor. Quando a bíblia nos assegura, fartamente, que devemos chegar à Deus pela fé, por uma vida de oração pura com ações da graça e adoração sincera, leitura cuidadosa da bíblia com amor à Palavra de Deus e humildade. A graça e glória estão no homem interior e não nas capacidades e reações naturais.

Parece que alguns irmãos olham para os avivamentos do passado, ou para manifestações ali ocorridas, e na tentativa sincera de receber mais de Deus buscam e incentivam as manifestações observadas naqueles avivamentos, como se começando por elas pudéssemos obter a obra do Espírito Santo. Além do que esquecem-se, ou não sabem, que muitas das manifestações que imitam foram as que levaram ao descrédito e ao declínio alguns avivamentos que começaram realmente abençoados.

Muitos avivamentos maravilhosos e enviados por Deus realmente, depois de um certo tempo, chegaram ao declínio, alguns muito rapidamente, porque pessoas problemáticas; indisciplinadas; desobedientes aos pastores; orgulhosas com seus dons, falsos ou verdadeiros; manipuladoras; com problemas psíquicos e emocionais, cheias de amor próprio; ou intrusos que tentavam assumir a liderança e criavam grupinhos produziram muita confusão e desordem. Conhecemos muitos dos tais hoje em dia. Alguns dizem que é “O espírito de Jezabel” .

A frase preferida deles é “Eu obedeço a Deus e não ao homem” e o homem a que se referem é o pastor. Mas se realmente obedecessem a Deus então obedeceriam à Palavra de Deus que ordena:

Hebreus 13.17 Obedecei a vossos pastores e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossa alma, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil.

Pastores aqui neste texto é quem preside, o líder, superior (isto mesmo, é este o significado da palavra) ou condutor. Aquele que tem autoridade da parte de Deus. A palavra no original para sujeitar-se é usada no sentido de estar sob uma autoridade.

Caso o seu líder esteja em desobediência a Deus, o crente santo só tem uma alternativa, caso permaneça sob sua liderança, orar e jejuar por ele. Pode aconselhar com o máximo respeito e consideração, sem entretanto tentar manipular ao pastor ou a igreja. O crente santo até quando entrega uma revelação ou profecia depois vai só orar e não fica perturbando com tentativas de manipulação. Isto com muito cuidado e respeitosamente depois de confirmar que é do Senhor, pois há muita visões, sonhos e revelações da mente e de demônios trazendo sérios problemas; desmerecendo e caluniando os líderes etc.

Quer confirmar, geralmente dá certo, repreenda estes tais profetas e eles deixam de ser ovelhas e viram serpentes iradas contra o pastor ou líder, na mesma hora, só por uma branda admoestação. Daí se deduz a fonte da sua revelação. Se você questionar, mesmo com mansidão, a autenticidade da revelação geralmente eles se levantam furiosos e esquecem-se que isto é ordem da bíblia.

Aqui a ordem

1 João 41 Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo.

Estou assistindo de tudo, nestes últimos tempos, mas muito pouco do evangelho vivído e pregado pelos pentecostais históricos mais antigos, que nos lembrava sobremaneira o livro de Atos dos Apóstolos. Mesmo com as imperfeições tão discutidas, existentes também em não pentecostais daqueles contextos sociais e dos de agora.

Não estamos aqui dizendo que faltaria “ordem e decência” tão somente por não seguirem a cultura dominante. Nem que uns pulos ou brados sejam por si só sinal de apostasia. Geralmente é sinal de alegria que cada um expressa de uma forma.

Mas tem coisas aberrantes acontecendo e alguns estão certamente exagerando. Devemos tolerar, creio eu, algumas extravagâncias, ocasionais, da emoção humana, o que não podemos é incentivá-las a ponto de haver imitação das mesmas, criando com isto doutrinas várias e estranhas.

E aqui está o que vemos como muito problemático, há muita ênfase sobre o aspecto emocional e e em criar ambientação para favorecer e incentivar a emoção. Podemos pensar, biblicamente, no Senhor e nos apóstolos manifestando ocasionalmente algum aspecto emocional, mas nunca em fazer da emoção uma condição essencial para um culto ser abençoado. Há muitos irmaõs sinceros que não compreendem a diferença entre uma coisa e outra.

Podemos aceitar em algumas oportunidades manifestações de regozijo um pouco exageradas mas não podemos colocar os carros na frente dos bois. Podemos tolerar uns pulos, de regozijo no Espírito, e não na carnalidade em ataques esquisitos e danças sensuais.

Podemos ter pregadores que gostam de colocar música de fundo, algumas vezes, durante a sua pregação, mas não podemos fazer que isto vire uma regra, até porque muitos irmãos vão se sentir bem psicologicamente e leves, mas o entendimento vai ficar sem fruto. E se for executado, os músicos não aprenderão o ensino da pregação pois estarão atentos aos seus instrumentos musicais.

Alguns argumentam que os profetas do AT pediam um tangedor (tocador ) para profetizarem. Ocorre que o tangedor tocava antes da profecia ser proferida. Se o pregador hoje é profeta a música deve ser antes da pregação. Por outro lado nós hoje temos a plenitude do Espírito de Cristo e não dependemos de condições psicológicas para pregar, profetizar etc. Aliás observo que os que menos sabem pregar são os que mais usam este artfício visando ambientar sua pregação e outros recursos emocionais tais como – Vai vai vai ou Pega pega pega, que produzem poucos resultados em conversão de almas. Digo conversão verdadeira e transformação, não adesão à uma boa religião como vimos nestes últimos anos. Tente se lembrar das pregações destes irmãos algum tempo depois e veja se tem sido despertado o teu coração por algum versículo da bíblia, pois seria o que deveria ficar como resultado da pregação mas você só lembrará natural e continuamente das invenções do pregador e não da bíblia. Veja bem que quando os profetas de hoje (com dom de profecia) vão profetizar não chamam primeiro um músico para tocar. Não precisamos de recursos psicológicos pois temos a plenitude do Espírito Santo por estarmos em Cristo.

Já ocorreu comigo de ir a um aniversário na casa de uma irmã em Cristo, com a mente bem cansada pois havia passado o dia trabalhando no computador fazendo um site, e lá o Senhor me revelar para orar por uma senhora me orientando que a mesma estava possessa. Com muito cuidado e toda ética possível convidei a mesma para receber a oração, sem estardalhaço, sem dialogar com os demônios que estavam nela, sem show algum, expulsamos o mal e a mulher ficou liberta, com lágrimas nos olhos agradeceu muito dizendo “obrigado moço” e repetia esta expressão com grande alegria ao que lhe respondíamos agradeça ao Senhor Jesus Cristo que foi quem fez a obra.

Não precisou de música nem ambiente psicologicamente apropriado, apesar de estar com a mente cansada por causa do trabalho fazendo um site.

Quando Jesus e os Apóstolos pregavam não tinha música de fundo. Pedro ganhou de uma só vez quase 3000 almas sem música de fundo. Nosso dever seria ter uma vida espiritual igual a de Pedro para repetir este efeito de ganhar multidões para Cristo. Mas ganhar mesmo e não só cristianizar, conduzir as pessoas ao arrependimento como ocorreu ali naquele contexto. Atos 2:37 Ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos? E leia a resposta de Pedro pois é assim que devemos servir ao Senhor Atos 2:38 Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo.

O Jonas, tão criticado por alguns, ganhou uma cidade inteira sem música alguma para ambientar.

Já tivemos a oportunidade, algumas vezes, de estar pregando na rua e muitas pessoas aceitarem a Jesus chorando sem que tivéssemos feito um apelo. Elas vinham à frente durante a pregação e pediam para aceitar a Jesus com lágrimas nos olhos. Em uma dessas vezes nós estávamos pregando em culto noturno ao ar livre, utilizando um megafone com um som horrível e estava tão escuro que não deu para ler a bíblia, tivemos que citar alguns versículos de cor, e oito pessoas que chegavam do trabalho, de trem, e passavam no local foram atraídas pelo Espírito Santo e aceitaram a Jesus Cristo como seu salvador quando ainda estavamos no meio da pregação que durou no máximo uns 15 minutos, não estavamos fazendo apelo mas o Espírito Santo fez o “apelo”. Em todas estas vezes falávamos apenas da Verdade que é a Palavra de Deus e sobre o risco de perderem a sua alma na eternidade sem nenhum método, técnica ou promessas para este mundo.

Podemos manifestar risos e lágrimas em momentos de culto, oração, meditação e leitura bíblica ao nos depararmos com a grandeza e sabedoria de Deus estampadas diante dos nossos olhos, por exemplo, por uma revelação gloriosa da Palavra para a qual nos foi aberto o entendimento. Mas daí cair no riso se contorcendo, urrando e babando é uma lástima irmãos. Aqui para nós, tem certas manifestações, que dizem estar ocorrendo por aí, e algumas já vi em vídeos, que são de estarrecer. E alguns ainda dizem por aí que quem não crer neste tipo de avivamento não vai receber. Muito obrigado, eu prefiro do tipo que Pedro e Paulo receberam.

Precisamos de equilíbrio e atenção. Não podemos condenar só porque é diferente do nosso modo de cultuar. Alguns dizem, com certa razão que foram os religiosos que perseguiram o Senhor Jesus, os apóstolos etc. É verdade. Mas daí deixar de obedecer à bíblia que ordena: Não dar crédito a todo espírito mas provar se os espíritos procedem de Deus; ficar atento por causa dos falsos profetas que enganarão a muitos; examinar tudo mas só reter o bem; ter cuidado com lobos devoradores e com os que farão do povo negócio com palavras fingidas, aí é outra coisa, pois implicaria no erro de não atentarmos bem para a Palavra de Deus. (estou editando e agora não dá para pesquisar o texto bíblico online depois melhoro, peguem o sentido somente).

Por outro lado precisamos analisar bem a quem os religiosos perseguiam, quais eram as obras deles , quais eram os frutos. Os dons manifestos eram para o que era útil (uma exigência bíblica). Não era qualquer um desses que saem por aí inventando modismos e querem aprovação. Aliás muitas destas coisas ocorreram logo após a morte dos apóstolos e foram severamente reprovadas por homens de Deus acima de quaisquer suspeita, como os chamados Pais Apostólicos. Heresias como as de Montano, Maximila e outros que aliás começou com motivação similar a muitos movimentos modernos em “avivar” os cultos e apresentavam características iguais, tais como: extase frenético, caindo em transes, falta de pudor, falta de domínio próprio, sede de domínio e liderança e outros excessos.

Nenhum desses hereges deu a sua vida por amor a Jesus Cristo nas perseguições aos cristãos e alguns morreram, de forma miserável, ao serem arremessados pelos espíritos que os dominavam. Irmãos a bíblia afirma que o nosso culto é racional. Nunca permita que nada esvazie a tua mente. O espírito do profeta é sujeito ao profeta. O avivamento, ou reavivamento, é bíblico. A bíblia é um livro de reavivamento. Reavivamento é retorno à Deus. Mesmo para o povo de Deus, que as vezes está se afastando. Não nominalmente, o crente ainda é membro de uma igreja, mas deixou o primeiro amor. O pecado original trouxe o “esfriamento” da “amizade íntima com o Senhor” (estou usando figuras), os encontros pessoais com Deus no paraíso já não eram mais possíveis. Deus, o grande avivalista, sempre agiu para reatar a amizade. Através de Sete, Enos, Enoque, Noé (em grande escala), Os patriarcas, Com Israel igualmente sempre pelos profetas. E o mesmo deseja para nós em Jesus Cristo pelo poder do Espírito Santo. Deus prometeu isto em todo o AT e confirmou em Cristo que nos batizou com o Espírito Santo.

O verdadeiro avivamento vai nos levar à plenitude que almejamos pelo repouso (o sábado profetizado na Lei) que há em Jesus Cristo. Nós iremos à Jesus e ele nos aliviará e encontraremos descanso (o sábado real, espiritual, corpo e não sombra) para nossas almas. É verdade que algumas vezes ficaremos como os que sonham, mas o culto sempre será racional.

1 Coríntios 14:20 Irmãos, não sejais meninos no entendimento, mas sede meninos na malícia e adultos no entendimento.

Pensando sobre o avivamento

Quero deixar claro que quem decide sobre o avivamento é o Espírito Santo. Portanto, sendo de Deus, nos desejamos o avivamento. Também não ousamos sair condenando tudo o que vemos e ouvimos só porque não se enquadra em padrões humanos teológicos ou culturais. E admitimos até a possibilidade de exageros ocorrerem em meio à operação real do Espírito Santo por causa da fraqueza humana. Aqui neste espaço contudo desejamos expressar o nosso desejo de que o avivamento seja em seguimento ao melhor modelo de que dispomos. O modelo apostólico de Pedro, Paulo e Cia. Li muito sobre os avivamentos: Azusa, Gales, Híbridas, China, Índia, EEUU, Argentina, África e muitos outros. Recentemente assisti aos vídeos que recomendo, tratando sobre avivamentos atuais. Mas o modelo por excelência, na minha opinião, é o dos tempos apostólicos. Vou explicar o porque:

1) Durabilidade – foram anos muitos anos de avivamento sem esfriamento algum. O avivamento era contínuo. Depois dos apóstolos é que estamos vendo as chamadas ondas de avivamento.
2) O avivamento transcorria debaixo da normalidade eclesiástica. Os pregadores(apóstolos, pastores, evangelistas etc) pregavam o seu sermão completo, sem cair, sem desmaiar, sem arrebatamentos ( que até ocorriam mas não durante as pregações), sem ataques de risos e etc e a liturgia simples não era modificada. Mudanças ocorriam em face de outras circunstâncias, talvez, como perseguições etc. Os resultados eram imensos em conversões de almas e milagres extraordinários. Veja atos 2.43; atos 8.13; atos 19.11 . Leia o livro de Atos atentamente e veja como Paulo e Barnabé se dirigiam às sinagogas e faziam a obra com simplicidade permitindo que a pregação da Palavra trouxesse o avivamento com grande número de conversões. Era só avivamento e nada de pastores tendo ataques, urrando, babando, ganhando fortunas etc.
3) Os pregadores eram simples e os seus sermões, que refletiam esta simplicidade, eram diretos e objetivos. Mas os pregadores(pastores) não se tornaram quase dispensáveis como observamos em alguns avivamentos famosos em tempos modernos. Lógico que não, isto iria contra a Palavra de Deus (Efésios 4 – veja abaixo). Veja os sermões de Pedro, Paulo, Estevão no livro de Atos dos Apóstolos, alguém conhece avivamento maior do que aquele do livro de atos? Podem conhecer é efeitos especiais promovidos pelas emoções e pela mente natural dos que sabem, com sobra, criar ambientação psicológica.

Efésios 4. 10 Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas. 11 E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, 12 querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo, 13 até que todos cheguemos à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, 14 para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo vento de doutrina, pelo engano dos homens que, com astúcia, enganam fraudulosamente. 15 Antes, seguindo a verdade em caridade, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, 16 do qual todo o corpo, bem ajustado e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor.

4) Os pregadores eram homens pobres em geral. Havia alguns ricos mas observa-se que estes davam tudo o que tinham para o sustento dos irmãos carentes.
5) Os excessos emocionais não eram incentivados pelos pregadores mas o viver em santidade sim. Não sou contra e a bíblia não proibe manifestações de emoção. Mas o que vemos hoje é uma tentativa de criar o avivamento a partir da emoção, enquanto nos tempos bíblicos o avivamento era resultado da santificação. Quer ter a prova de que hoje é diferente é só avaliar as reações de alguns irmãos, que se dizem cheios do Poder de Deus, em relação a um estudo como este: Iras, ataques, acusações, contendas, cara zangada e etc. Enquanto nos movimentos de santidade o que se vê é oração pura, amorosa, sem agressividade mas em amor para que Deus convença os que pensam ao contrário. Só tem um porém, aquele avivamento trazia muitas bençãos mas também perseguições ferozes: prisões, apedrejamentos, fugas, humilhações e mortes. Os avivalistas de hoje só vão querer as bençãos, certamente.

Entenda o que é o avivamento (ou reavivamento em alguns casos )vendo estes vídeos. Endereço de um abaixo e nome dos demais. Estou informando sobre estes vídeos para usá-los como exemplo. Não apoio métodos humanos, os próprios vídeos demonstram que tais métodos não são essenciais. O método é o eterno ARREPENDEI-VOS E CONVERTEI-VOS E ORAI SEM CESSAR. Os vídeos, todavia, ajudam muito a fazer a aplicação prática destes ensinamentos. Seria muito bom também se você lesse a série de avivamento de John Walker-Editora dos Clássicos

Não digo que não possam haver enganos neste bom material, só Deus o sabe, mas se houver é de um nível muito elevado para nós. Mas as manifestações que vemos por aí irmãos, haja paciência.

Avivamento é quando Deus atinge a comunidade. Há conversões com lágrimas de arrependimento, há restituição de objetos furtados, confissão pública de pecados(quando o pecado for causa de escândalo), vitória sobre o ego. Avivamento não é o mesmo que culto de reavivamento, não é exposição de nomes de pregadores e cantores em faixas, não é emoção carnal.

Estão tentando obter movimentos fáceis, sem orações, sem arrependimento de obras mortas e sem gemidos, que trazem valores emocionais, valores só da alma, forças da carne, mas quase nada do Espírito, pois não há humildade mas cada um quer uma parte como se fosse algo pessoal. É que o preço a pagar pelo verdadeiro avivamento é muito alto e para piorar os pastores pensando somente nos seus “ministérios” incentivam esta busca com medo de haver esfriamento. Não sabem que as obras da carne precisam ser removidas para que venha a operação de Deus.

O avivamento virá a hora que nós juntos chorarmos, não pelos problemas nossos do cotidianos, mas pelos nossos próprios pecados, pelos pecados do mundo, pela salvação de almas e pela situação das igrejas. Precisamos chorar porque não temos sido perfeitos conforme a ordem do Senhor Jesus, e por isto nossa influência no mundo é muito pouca. Dá-nos lágrimas de arrependimento, compaixão e quebrantamento Senhor.

Oramos muito apressados por causa da liturgia. E muitos nem em reverência ficam. Vemos na história dos avivamentos sempre existirem irmãos e irmãs que quando oravam eletrizavam o ambiente com a presença de Deus, falando mansinho. Não era porque elevassem a voz ou tivessem voz intensa não. Alguns se demoravam até perceberem estar na presença de Deus de fato e só então começavam a falar. Em alguns casos as pessoas sentiam medo em permanecer no recinto por causa da majestosa presença de Deu. Era sempre muito atraente a majestosa presença mas deixava-os iguais a Moisés todo amedrontados.

O avivamento sempre tem começo de muitas lágrimas em oração, a alegria vem depois, quando os corações estão purificados pela fé no sangue de Jesus Cristo. Não é uma alegria a qual crentes nominais e até os ímpios possam imitar. O verdadeiro avivamento é mudança de caráter. E algumas vezes trouxe coisas como devoluções, reparação de inimizades e confissões (ficou estreito né?).

Procure entender o que é avivamento: Arrependimento, amor, unidade, fé, oração, adoração e louvor no Espírito, buscar primeiramente o Reino de Deus, obedecer a Deus e fazer tudo o que for relativo a vida e a piedade. O resultado é transformação de uma comunidade, bairro, nação. O avivamento não é capacidade humana e nem recursos humanos. Não é marketing. Não é nome famoso (A não ser o de Jesus). Surge de corações quebrantados pela situação da sociedade e da igreja. Começa com lágrimas e humilhação diante de Deus. Depois vem o regozijo.

E nada parecido com “Ouçam pregadores que falem palavras de ânimo e de avivamento”. Não irmãos, fujam disto e ouçam pregadores que falem a palavra enviada por Deus. A profecia I Coríntios 14.3 Mas o que profetiza fala aos homens para edificação, exortação e consolação. E mais cuidado ainda, nestes tempos precisamos, pois os que distorcem as escrituras pretendem tirar a força de certas palavras e uma delas é a palavra exortação que significa aconselhar, convencer ou admoestar. O sentido desta palavra é de desviar alguém de um erro. Deve ser feito com brandura e respeito mas com firmeza.

O Espírito Santo é quem deve orientar ao pregador(pastor) sobre o que as pessoas precisam ouvir. Uma certa vez fui convidado para pregar em um culto de aniversário na casa de um irmão(amigo muito chegado) e quando preparava a mensagem em oração o Senhor me disse que pregasse sobre viver segundo ele viveu aqui na terra, me trouxe muitos textos à mente e um deles foi quando pagou os impostos devidos (ficou estreito né?), entre outros. Eu questionei o sentido que o Senhor me dava dizendo Senhor – é só um aniversário. O Senhor me ordenou claramente que pregasse o que ele havia ordenado. Quando estava me preparando para ir pedi, em pensamento, ao Senhor que confiirmasse ser esta sua vontade salvando uma alma naquele aniversário.

Quando ali cheguei o culto já havia iniciado e tinha um grupo cantando. Sabem o hino que estavam cantando? O hino “Eu quero ser igual a Jesus de Nazaré”. Porque será que logo este? hein?

Preguei, observei que muitos crentes ali não gostaram pois a verdade muitas vezes entristece para o arrependimento, mas quando foi feito o apelo um homem espírita que nem queria ouvir falar em igrejas de crentes, certamente estava ali por ser uma residência, penso eu, segundo me disseram os que o convidaram, aceitou a Jesus emocionado e segundo fui informado passados 9 anos, estava servindo a Deus em uma igreja evangélica desde aquela época. Logicamente a tônica da pregação não era contra os irmãos com dificuldades para cumprir suas obrigações, todos temos maus momentos e dificuldades financeiras, atrasos em ipva e etc, mas contra os que se dizem crentes e praticam espertezas mundanas, e frisei isto com muito cuidado.

Penso que seria muito bom a nós ministros buscarmos mais da simplicidade de Cristo e menos o sermos “autoridades eclesiásticas” e menos pompas de dignidade pessoal e coisas do tipo. Antes do nosso nome, do nosso ministério e do nome da nossa igreja é o nome de Jesus que devemos honrar e o Reino de Deus. Lógico que é bíblico dar honra aos ministros mas este deve ser simples e não criar personalidade profissional. Enquanto buscarmos fazer as coisas bem feitas por causa do que vão falar da nossa igreja ao invés da prioridade para com o Reino de Deus, com a Verdade e o Amor vamos ficar empacados. Se apresentarmos algo muito simples à sociedade mas vivendo dentro da verdadeira doutrina de Jesus Cristo que importa que falem. Observe que as pessoas que são usadas por Deus de forma admirável, espiritualmente e não segundo conceitos de grandezas e capacidades naturais e humanas, são extremamente simples e as vezes até ridículas para alguns.

Jeremias 23:18 Porque quem esteve no conselho do SENHOR, e viu, e ouviu a sua palavra? Quem esteve atento à sua palavra e a ouviu? Jeremias 23:22 Mas, se estivessem no meu conselho, então, fariam ouvir as minhas palavras ao meu povo, e o fariam voltar do seu mau caminho e da maldade das suas ações. Jeremias 23:28 O profeta que teve um sonho, que conte o sonho; e aquele em quem está a minha palavra, que fale a minha palavra, com verdade. Que tem a palha com o trigo? -diz o SENHOR. Jeremias 23:29 Não é a minha palavra como fogo, diz o SENHOR, e como um martelo que esmiúça a penha? Jeremias 23:30 Portanto, eis que eu sou contra os profetas, diz o SENHOR, que furtam as minhas palavras, cada um ao seu companheiro.

Jeremias 6:14 E curam a ferida da filha do meu povo levianamente, dizendo: Paz, paz; quando não há paz. Jeremias 8:11 E curam a ferida da filha de meu povo levianamente, dizendo: Paz, paz; quando não há paz.

Faça busca no YOUTUBE no alto da página sobre Avivamento na Colômbia e Quênia(1 de 6) Avivamento nas Ilhas Fiji (6 ou 7 partes) Avivamento Canadá e Uganda (7 partes) Procure o restante da série no YOUTUBE